Você já fez sua higiene nasal hoje?

gothsonn 6 de abril de 2018 Nenhum comentário

Você já fez sua higiene nasal hoje?

Para muitos, essa pergunta aparenta ser muito estranha… Seria aceitável se fosse vinculada à escovação dentária nos infantes, tornando-se um hábito na idade adulta. A cavidade nasal, seios faciais e rinofaringe possuem um epitélio pseudoestratificado ciliado (primeira linha da defesa do hospedeiro) e uma camada de muco em duas fases (Sol e Gel). Para a limpeza das cavidades há um movimento contínuo de muco (clearence mucociliar), drenando para rinofaringe, sendo regulado pela quantidade e pelas propriedades do muco, além da atividade ciliar. Qualquer alteração no transporte mucociliar agrava ou facilita o desenvolvimento de várias doenças nasais.

A higiene nasal é um procedimento simples, que tem por objetivo limpar a cavidade nasal e seios paranasais. Ela remove placa bacteriana (pus), mantêm o clearence mucociliar, diminui o biofilme e excesso de muco da superfície epitelial, além de remover mediadores inflamatórios, como: histamina, prostaglandinas D2 e interleucinas. É indicada para todas as pessoas e especialmente nos casos de alergias: sinusite, pós-operatório, rinite, gripes e resfriados. Além disso, a lavagem nasal permite o melhor uso de medicamentos, como: sprays, pomadas e gotas. Nas localidades onde o ar é seco, a umidade relativa do ar é menor que o recomendado para um bom funcionamento da fisiologia nasossinusal. Nessas condições, o nariz sofre um estresse ambiental, o que causa um ressecamento da mucosa nasal, quantidade e qualidade do muco, com piora dos sintomas de doenças nasais prévias, como espirros, prurido e obstrução nasal.

Há muitos tipos de irrigadores nasais disponíveis no mercado hoje em dia. Eles podem ser encontrados em farmácias, lojas de produtos naturais e pela internet. Há várias formas, tamanhos e a durabilidade pode ser diferente (alguns são descartáveis). Dentre os equipamentos mais comuns, estão inclusos as seringas e sprays com Soro Fisiológico 0,9%.

Resultado de imagem para higiene nasal

É importante que se tomem precauções de segurança sempre que for usar, limpar e guardar o aparelho. Assim, evita-se a proliferação de bactérias e outros germes que podem contaminá-lo e entrar na cavidade nasal. Alguns cuidados, orientados pelos fabricantes desses aparelhos de limpeza nasal são: a) “Lave e seque as mãos antes de lidar ou utilizar o dispositivo para a lavagem” e b) “Lave o aparelho com água de torneira destilada, purificada ou fervida, para garantir que ele não se contamine no processo de limpeza. Deixe-o secar sozinho ou use um papel toalha limpo e descartável para secar a parte de dentro.”

Algumas pessoas desejam fazer sua própria solução salina, porém, não se deve usar o sal comum para fazer a solução. O sal de cozinha contém iodo, o que irrita as vias respiratórias. Sais não refinados, sem iodo, são opções mais seguras, pois não contêm substâncias químicas prejudiciais ou irritantes para a cavidade nasal. Outro erro comum é usar água não filtrada, introduzindo diretamente impurezas e germes dentro do nariz e seios paranasais.

Portanto, a lavagem nasal, além de ser higiênica, facilita o controle de doenças nasossinusais, diminui a transmissibilidade de doenças respiratórias e mantém a fisiologia respiratória superior com bom funcionamento. Adquira esse hábito!

FAUSTO REZENDE FERNANDES

Dr. Fausto Rezende – Otorrinolaringologista – CRM/MA 8215 | RQE 2231

Tag :